Ver todos os posts
Publicado em Publicado em

Vídeo, o rei do conteúdo

video

Categoria

Vídeo

Partilhar

Hoje, no mundo da comunicação e marketing, ou mais concretamente no marketing de conteúdo, o vídeo é assumido como o conteúdo preferencial para consumo.

Já dizia o Mel Brooks…

Vídeo é sem dúvida o rei do conteúdo.

O vídeo já existe há algum tempo! E nos anos 80 ficou com má reputação porque alegadamente “matou” a rádio com a televisão. Violento no mínimo.

Hoje, num mundo inundado de informação, o vídeo impõem-se como o conteúdo mais procurado para consumo. E embora não tenha realmente “matado” os outros tipos de conteúdo, o mais provável é ser essa a tendência… ou para lá caminha.

Os números não mentem:

  •  Os vídeos são responsáveis por 74% de todo o tráfego da Internet em 2017 e vão crescer até 80% em 2020. (KPCBCisco)
  •  Quatro vezes mais consumidores preferem assistir a um vídeo de produto do que ler sobre ele. (Animoto)
  •  Um em cada quatro consumidores perde o interesse numa empresa que não tenha conteúdos em vídeo. (Animoto)

 

Por estas razões:

  • 84% dos profissionais de marketing e 55% dos proprietários de pequenas e médias empresas produziram ou subcontrataram a produção de um vídeo entre 2016 e 2017. E mais importante do que isso, 76,5% desses profissionais obtiveram retorno dessa aposta. (Animoto)

O vídeo tem a capacidade única de combinar elementos de todos os outros tipos de conteúdo num formato fácil de digerir. Texto, som, imagens e movimento. É certo que alguns dos outros tipos de conteúdo também podem ser combinados, como texto e imagens. No entanto, só o vídeo pode realmente combinar todos eles.

Ok, mas porque é que ele é o rei do conteúdo? Assinalo três razões para reforçar este seu estatuto:

1. SEO

Devido à sua poderosa capacidade de atrair e envolver o público, o vídeo é fantástico para a otimização de motores de busca (SEO).

Os vídeos, quando publicados, têm tags e metadados que os dois maiores motores de pesquisa (Google e YouTube) usam, ao fornecer os resultados mais relevantes numa pesquisa.

Outro fator de ranking de SEO que desempenha um papel fundamental na determinação de quais os resultados que aparecem (idealmente na primeira página do Google) é a taxa de rejeição. Se seus vídeos forem suficientemente envolventes, os espectadores passarão mais tempo a vê-los no seu site, sinalizando para os motores de busca que o conteúdo é bom e dessa forma que continue aparecendo nos resultados das pesquisas.

 

2. Retenção

Os utilizadores retêm 95% de uma mensagem quando a vêem num vídeo, em comparação com 10% quando a lêem em texto. (Forbes)

Só esta estatística deveria fazer com que se deva considerar vídeo na sua estratégia de conteúdos. Quando estatísticas como estas comprovam o valor e o benefício que o conteúdo em vídeo desempenha na comunicação de uma mensagem, fica claro que ele supera o conteúdo padrão normalmente baseado em texto e é sem dúvida o conteúdo preferido (conforme ditado pelo número de visualizações) dos consumidores.

Estes dados mostram que, com este tipo de conteúdo, potencia a oportunidade para amplificar e dar nova vida a material já existente em torno da sua marca. Utilizando vídeo pode redirecionar o utilizador para outros tipos de conteúdo baseados em texto, incluindo manuais, notícias, promoções, descrições de produtos (só para mencionar alguns exemplos!) e ampliar o seu alcance, aumentar a taxa de retenção e a interação com o seu público, potenciando novas vendas e atraindo mais leads para sua marca.

 

3. Retorno

Quase 50% dos utilizadores de Internet procuram vídeos relacionados com um produto ou serviço antes de visitar uma loja. (ThinkWithGoogle)

Os compradores on-line que visualizam vídeos de demonstração quase que duplicam (1,81x) a tendência para compra, em comparação com aqueles que não visualizam. (Adobe)

 

Se gere uma marca, incluir vídeo na sua estratégia de conteúdos e publicar nos seus diversos meios digitais (site, redes sociais e meios de publicidade) é estrategicamente a abordagem mais sólida. Deve agarrar a informação e estatísticas acima mencionadas e apostar no vídeo, porque terá certamente a preferência e retorno do seu público.

Se necessita de obter a atenção do seu público, se pretende transmitir uma mensagem que seja ouvida e compreendida, se procura promover novos produtos e deseja maior impacto e eficácia na sua comunicação, terá obrigatoriamente de considerar produzir conteúdos em vídeo.

Na LOBA temos muitos e bons exemplos de eficácia com a aplicação do vídeo na estratégia de conteúdo ou como elemento transversal (por vezes central) na estratégia de comunicação.

Salsa video
Vídeo SALSA – Anytime, Anywhere

Neste exemplo criado para a Salsa, o vídeo foi utilizado não só para explicar ao cliente final, de forma simples e lúdica, o que era o Omnicanal da marca, mas também serviu de elemento central na estratégia de formação interna dos seus colaboradores sobre esse serviço.

FIRST PARALLEL video
Vídeo FIRST PARALLEL
dandelion video
Vídeo DANDELION
bioways video
Vídeo BIOWAYS

A LOBA trabalha a comunicação de vários projetos europeus que gere em consórcio com diversas entidades e o vídeo é um elemento crucial para conseguirmos chegar ao público geral e explicar de forma eficaz e tecnicamente mais leve o que são esses projetos e quais os seus objectivos e benefícios para a sociedade.

uatec video
Vídeo UATEC

Neste exemplo muito simples, o vídeo foi usado para mostrar o que é e o que faz a UATEC. Tanto para fora como dentro da UA. A UATEC queria mostrar ao exterior o que faz e o que promove, mas também queria piscar o olho aos seus próprios investigadores, alertando que está presente e quer ajudar a disseminar os seus projetos.

Apostar em conteúdos de vídeo é ter em conta as necessidades e tendências do seu público ou dos seus clientes.  Apostar em vídeo é talvez a forma mais segura e eficaz de proporcionar uma excelente experiência de cliente ao seu cliente.

Ver todos os posts