Ver todos os posts
Publicado em Publicado em

Storytelling: Saiba como contar a estória da sua marca

Categoria

Marketing Digital

Partilhar

As estórias estão presentes na nossa vida quase desde o berço. Quem de nós nunca adormeceu enquanto o pai ou a mãe contavam aquela estória – que, aliás, já sabíamos de trás para a frente – presos a um enredo e a personagens que nos transportavam para outro imaginário?

Entretanto, crescemos e afastámo-nos da fantasia das estórias de infância. No entanto, não perdemos – pelo contrário, apurámos – a nossa capacidade de reconhecer o poder de uma boa estória, de como ela nos prende e perdura na nossa memória.

O Storytelling no Mundo do Marketing

No marketing, não é assim tão diferente. Quem está atento às tendências do marketing de conteúdo certamente já terá ouvido falar em storytelling (em português, contar estórias) e, em particular, em brand storytelling – a estória da sua marca.

Ainda que não exista uma definição consensual, podemos considerar que o brand storytelling é o uso de uma narrativa que liga a marca aos potenciais clientes, evidenciando os valores comuns entre eles.

E porque é que, de repente, parece que todas as marcas se voltaram para o storytelling? Num mundo em que as pessoas começam a ficar saturadas de conteúdo a toda a hora, as marcas começaram a sentir a necessidade de contar a sua estória e dos seus produtos, diferenciando-se, assim, da concorrência.

Por outro lado, as marcas começaram também a perceber que a melhor forma de chegar a um consumidor que está a ponderar se compra ou não um produto não é forçando a sua compra, mas sim contando-lhe a estória da sua marca. Dessa forma vai conseguir que a sua audiência conheça quais os valores da marca e se identifique com eles, ficando, assim, muito mais interessado nos seus produtos e naquilo que eles lhe podem oferecer.

6 Dicas para contar bem a estória da sua marca

De forma consciente ou não, um bom contador não exclui da sua estória alguns elementos essenciais que a fazem funcionar. Na LOBA, temos uma equipa de marketing digital pronta para ajudá-lo a contar a sua estória de forma cativante nos mais diversos canais digitais. Quer saber que elementos fazem a diferença no storytelling? Tome notas das dicas que lhe deixamos:

  1. A regra dos cinco C

Todas as histórias obedecem à regra dos cinco C – Circumstance (Contexto), Curiosity (Curiosidade), Characters (Personagens), Conversations (Diálogo) e Conflict (Conflito). Sem estes elementos a estória, pura e simplesmente, não existe.

Ao começar a contar a estória temos que dar Contexto à nossa audiência, fornecendo-lhe as informações básicas sobre as circunstâncias em que esta se vai desenrolar. Estimular a Curiosidade no nosso interlocutor faz com que este se mantenha atento e interessado. Por outro lado, as Personagens e o Diálogo não vivem um sem o outro e, finalmente, sem Conflito, um motivo que despolete uma ação, a estória também não existe.

  1. Procure que a audiência se identifique consigo

Todos nós temos conquistas das quais nos orgulhamos e que não devemos menosprezar. No entanto, se vamos contar a nossa estória, temos que ter em conta que as pessoas se identificam mais quando lhes falamos sobre as nossas adversidades e como conseguimos ultrapassá-las, do que se decidirmos falar sobre momentos da vida como aquelas férias paradisíacas ou uma viagem de luxo. É importante que tenhamos em conta que nós não somos os heróis da nossa estória, mas sim a nossa audiência.

  1. Desperte emoções na sua audiência

Quem nunca se emocionou e chorou a ver um filme? Imprimir emoções nas suas estórias ajuda a que a audiência se envolva mais. Quer nos sintamos tristes, contentes, assustados ou tranquilos, as emoções fazem-nos sentir vivos. Numa estória, os factos não têm o mesmo peso se não existir uma conexão emocional.

  1. Estimule os sentidos da sua audiência

Numa tarde chuvosa de Inverno, deixo-me escorregar no sofá enquanto o calor da lareira me aquece os pés. Enquanto isto, já se sente o cheiro das bolachas de chocolate que estão a acabar de fazer no forno da cozinha.

Quando usamos descrições em que apelamos aos sentidos da nossa audiência conseguimos captar ainda mais a sua atenção. Apenas o aconselhamos a não cair no exagero com este tipo de descrições, sob pena de fazer com que a sua estória se torne pouco natural ou credível.

  1. Comece a sua estória pelo meio

Na maior parte das vezes as estórias são contadas respeitando o tempo cronológico. Quando assim é, há um risco de que a monotonia se instale e que a sua audiência perca o interesse antes de chegarmos às partes mais interessantes.

Um dos truques bastante utilizados, por exemplo, no cinema, é o de começar a contar a estória pelo meio. Dessa forma conseguimos manter o nosso público mais atento de forma a não perder os detalhes que vão sendo revelados no decorrer da ação.

  1. Não exagere nos detalhes

Muitas vezes o problema não está na estória em si, mas sim na forma como a contamos. Se se alongar demasiado em pormenores banais que pouco ou nada trazem de relevante para a estória, pense em eliminá-los. Já é difícil conseguir manter a sua audiência interessada, e se acrescentar demasiados detalhes que não influenciam o decorrer da ação, o certo é que rapidamente a audiência deixe de lhe prestar atenção.

Está pronto para contar a sua estória? Na LOBA dispomos de uma equipa dinâmica, apta a trabalhar os seus conteúdos e a dar a conhecer a sua estória em diferentes formatos e plataformas: no seu website, em vídeo, nas redes sociais, entre outros. Fale connosco!

 

Ver todos os posts