Ver todos os posts
Publicado em Publicado em

O briefing visto na perspetiva do cliente

briefing

Categoria

Brands

Partilhar

Tudo começa no briefing!

Na LOBA.CX há uma prática inquebrável de conhecimento e reconhecimento entre todos os lobáticos no desenvolvimento de projetos: o BRIEFING.

O Briefing de Projeto é, nada mais nada menos, que um documento descritivo de toda a informação relevante para o projeto, e que consiste em 6 fases: a iniciação, a definição, o planeamento, o controlo, a implementação e, por fim, a revisão.

A utilização do briefing é preponderante não só para a LOBA, mas também para o próprio cliente. Quando o cliente transmite a informação necessária ao desenvolvimento do briefing deverá sempre ter em conta a clareza e objetividade dos dados, pois só com informação de qualidade é que se consegue criar um bom briefing e, consequentemente, desenvolver um bom trabalho.

Por outro lado, para além de ajudar a entender a atividade do cliente, o briefing permite à agência ter um rumo definido no que diz respeito às tarefas a seguir, eliminando outros entraves ao trabalho.

Independentemente de estarmos a falar de um briefing para website, para um logótipo de uma empresa, ou qualquer outro tipo de briefing, existem elementos básicos que devem sempre fazer parte deste documento. Veja quais:

Contexto

Na LOBA, aconselhamos a que antes de iniciar um projeto o cliente providencie informação sobre a empresa, produtos, valores e objetivos. Nesta fase, não é absolutamente essencial entrar em muito detalhe, mas sim dar uma visão global acerca daquilo que move a empresa.

É importante também que exista informação relativamente ao projeto: desde a sua simples identificação até às razões pelas quais ele é necessário. Mais uma vez, aqui interessa mais ter uma visão global sobre o projeto, sem entrar em pormenor.

Objetivos

Esta é uma das partes mais importantes do briefing e, por isso, é essencial que o cliente saiba transmitir toda a informação de forma eficaz. Damos-lhe uma dica: pegue num papel e caneta, escreva as seguintes questões e dê-lhes resposta.

  • Porque é que eu necessito deste projeto?
  • O que espero conseguir alcançar com ele?
  • Quais são os meus objetivos?
  • Existe algum problema que estou a tentar resolver?
  • De que forma vou medir o sucesso do projeto?

A resposta em detalhe a estas questões é uma ajuda crucial para a constituição do briefing.

Público-Alvo

Nenhum briefing pode existir sem que haja um público-alvo definido para o projeto. Pense qual o público que pretende atingir e partilhe informação não só demográfica e geográfica (sexo, idade, localização) mas também comportamental e psicográfica (estilo de vida, valores, conhecimentos e atitudes sobre o produto ou serviço em causa, entre outros).

Análise da Concorrência

Não se limite a fazer uma lista dos seus concorrentes. Identifique os seus pontos fortes e fracos, bem como os seus fatores de diferenciação. Aproveite também para fazer uma análise das tendências de mercado do seu setor e que possam ter impacto na vida das empresas.

Prazos

Pode parecer um pormenor, mas a definição de prazos é, na realidade, muito mais do que isso, uma vez que permite que a agência consiga balizar as suas tarefas dentro de um intervalo temporal. Desta forma, é importante que o cliente defina um prazo para a concretização do seu projeto. Caso tenha dificuldades em estimar o tempo necessário, pode consultar e chegar a acordo com a agência acerca dos tempos que cada tarefa implica.

A definição de deadlines é particularmente importante caso o cliente tenha os seus próprios prazos a cumprir – como a presença numa feira ou uma reunião com os administradores.

Orçamento

Tal como na definição de prazos, é importante que o orçamento seja discutido com a agência. O orçamento poderá sofrer ajustes, por exemplo, se houver acréscimo de serviços. Nesta fase, é também importante averiguar alguns aspetos que dizem respeito ao processo criativo – como por exemplo, se as alterações no projeto estão incluídas no budget ou se são pagas à parte.

No fundo, a ideia não é criar um bom trabalho tendo em conta o valor que o cliente pretende investir, mas sim ajustar o projeto ao orçamento sem perder a qualidade do serviço e garantindo uma boa experiência de cliente.

Estes são os itens essenciais para a constituição de um briefing. Lembre-se sempre: o cliente tem um papel fundamental neste processo, pois quando a transmissão de informação é feita de forma clara e objetiva, isso reflete-se na qualidade do trabalho desenvolvido e na poupança de recursos, eliminando o principal inimigo na constituição de um briefing: a subjetividade.

Ver todos os posts